Jazz performance: improvisação como conversação

A edição do mês de dezembro da Revista Vórtex conta com uma resenha que escrevi sobre alguns dos processos comunicativos que ocorrem na performance jazzística.

Para acessar, basta seguir esse link

De qualquer forma, abaixo vai o resumo do que se trata.

Resenha sobre o capítulo Music, languages, and cultural styles: improvisation as conversation, em Saying Something: Jazz Improvisation and Interaction, de Ingrid Monson. Trata-se de uma discussão de alguns dos processos envolvidos na performance no jazz e suas características intrínsecas análogas à comunicação, considerando essencialmente elementos musicais, culturais e sociais, tendo como base teorias e pensamentos de autores em diversas áreas do conhecimento.  Ingrid Monson faz referência a Berliner (Thinking in Jazz 1994) ao introduzir a importância da formação do músico de jazz em um meio musical dinâmico, sujeito a constantes transformações, no qual sua identidade musical é construída pela interação entre o indivíduo e o meio em que se insere. Embora a autora aponte a incidência de uma utilização inapropriada de ferramentas ocidentais para análise e estruturação musical, o paralelo entre a abordagem ocidental e a prática musical como parte de um complexo cultural espontâneo (baseado na aprendizagem interativa) é admitido e contextualizado pela ilustração dos processos envolvidos na comunicação.

 

ac1321-0000005-jpg__1072x0_q85_upscale

Anúncios

Algo a dizer?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s